NORMAS da AMVHB para os CURSOS
    Os colegas egressos de Cursos de formação de Médicos Veterinários em Homeopatia Veterinária que atenderem às Normas da AMVHB integralmente, podrão ser aceitos como candidatos para realizar a Prova de Especialista em Homeopatia Veterinária. As Normas para os Cursos de Formação são;
 
REGRAS GERAIS
a) O Coordenador do Curso para Médicos Veterinários deve ser obrigatoriamente um Médico Veterinário Homeopata;
b) Manter instalações apropriadas às aulas teóricas, com material de apoio suficiente para atender as necessidades mínimas de ensino;
c) Somente permitir a presença de profissionais formados em Medicina Veterinária nas aulas práticas;
d) Proporcionar aos alunos acesso a casos clínicos presenciais, sejam ambulatórios clínicos próprios ou conveniados, sejam em fazendas e propriedades rurais, sempre respeitando o mínimo de horas-aulas práticas;
e) Manter Listas ou Boletins de frequência das aulas.
 
REGRAS ESPECÍFICAS
1. CARGA HORÁRIA – total mínimo de 800 (oitocentas) horas, assim distribuídas:
      a. Parte Teórica - Total de 400 (quatrocentas) horas. 
      b. Parte Prática - Total de 100 (cem) horas.
      c. Elaboração de Trabalho de Conclusão do Curso - Total de 200 (duzentas) horas.
      d. Estudo Dirigido - Total de 100 (cem) horas.
 
2. TEMPO de DURAÇÃO do CURSO - o período mínimo de duração será de 24 meses e o período máximo será de 36 meses.

CURRÍCULO MÍNIMO
As Disciplinas obrigatórias a serem ministradas e o conteúdo das mesmas estão relacionados abaixo, bem como a carga horária sugerida para cada matéria.

DISCIPLINAS TEÓRICAS          
Disciplina Carga Horária Observação
Bases Teóricas da Homeopatia   80 horas  
Semiologia e Clínica Médica   70 horas  
Terapêutica Homeopática   40 horas  
Matéria Médica Homeopática 120 horas  
Farmácia Homeopática   20 horas  
Metodologia Científica   20 horas  
Disciplinas Complementares Relevantes   50 horas Produção Orgânica
Comportamento Animal
Bem Estar Animal
Bioética
Produção Animal em Geral
 
 
DISCIPLINAS PRÁTICAS
Disciplina Carga Horária Observação
Ambulatório Veterinário 100 horas Clínica de Pequenos Animais
Propriedades de Produção Orgânica, Haras, Fazendas, Piscicultura, Avicultura, Suinocultura etc....
Estudo Dirigido 100 horas Revisão de Casos Clínicos
Repertorização
Estudos Populacionais
Elaboração de Trabalho de Conclusão de Curso 200 horas  
 
A seguir apresenta-se o conteúdo mínimo das disciplinas teóricas.
 
BASES TEÓRICAS da HOMEOPATIA
 
a) Histórico e Evolução do pensamento médico 
        - Pensamento médico grego: escola de Cos e Knido 
        - Princípios da medicina hipocrática 
        - Galeno 
        - Paracelsus 
        - Medicina dos Séculos XVII e XVIII 
        - Evolução da Medicina Veterinária Homeopática 
        - Hahnemann: vida e obra 
        - Vitalismo de acordo com Hahnemann 
        - Histórico e Evolução do pensamento Vitalista: 
        - Stahl 
        - Haller 
        - Barthez 
        - Conceito e características de acordo com Hahnemann 
        - Características e propriedades da energia vital segundo Hahnemann  
        - A história da Homeopatia após Hahnemann 

b) Similitude: 
         - O Princípio da Similitude na história da medicina ocidental de Hipócrates até Samuel Hahnemann. 
         - O trabalho de Hahnemann fundamentando e metodizando a Lei da Similitude para a atuação clínica. 
         - Teoria da Substituição de Hahnemann, como explicação e/ou justificativa da atuação da Lei dos Semelhantes na terapêutica. 

c) Experimentação no Indivíduo São: 
      -  Experimentação no homem São do ponto de vista de Hahnemann. 
      - Vantagens e desvantagens da espécie humana para a experimentação. 
      - A Experimentação Patogenética: Técnicas 
      - O Experimentador São.
      - Categorias de Sensibilidade: 
Suscetibilidade, Idiossincrasia, Intoxicação, Hipersensibilidade. 
      - Efeitos das Drogas: primários, secundários e alternantes. 
      - Auto-experimentação: conceitos, normas, validade. 
      - Doença Artificial ou medicamentosa: conceitos 

d) Doses Mínimas 
       - Doses Mínimas: conceito 
       - Descoberta do seu poder farmacodinâmico dentro da Lei da Similitude. 
       - A importância da dinamização das diluições Syphilis-Sycose-Psora. 
       - A prescrição pela similitude com a doença. 
       - A prescrição para o doente antes da concepção miasmática de Hahnemann.  
       - A prescrição para o doente dando preferência hierárquica aos sintomas psóricos, de acordo com as doenças crônicas. 
       - O pensamento dos seguidores de Hahnemann sobre as doenças crônicas e agudas. 
       - Influência sobre o conceito de diátese: 
                 Psora, Sycose, Syphilis, Tuberculinismo, Cancerinismo. 
       - Dose Ponderal: efeito farmacodinâmico. 
       - Problemas de Imponderabilidade: as pesquisas químicas, físicas e biológicas
       - Efeito Farmacodinâmico 

e) Remédio Único 
      - Individualização do doente e do medicamento. 
      - Experimentação no Homem São mostrando a unidade do ser e sua relação:  Todo com suas Partes. 
      - Imperativos práticos do medicamento único e seu valor científico.
 
f) Doente e Doença 
       - Histórico do conceito de doença. 
       - Visão Hahnemaniana sobre o homem, conceitos de saúde, doente, doença e cura. 
       - Mecanismos Defensivos e Curativos do organismo 

g) Doença Aguda 
       - Doença Aguda: conceito, caracterização, classificação segundo Hahnemann. 
       - Gênio Epidêmico: conceito, caracterização, pesquisa. 
       - O Quadro Agudo como expressão do miasma crônico. 

h) Doença Crônica 
      - Evolução do Conceito de doença em Hahnemann: 
      - Os seguidores de Hahnemann. 
      - O Hiato da Homeopatia na história. 
      - Ressurgimento da Homeopatia: a retomada do pensamento hahnemaniano 
      - Argumentos, críticas e propostas de mudança nas diferentes escolas homeopáticas

i)  Cura Conceito e Significado 
     - Evolução do Conceito. 
     - Compreensão das Leis de cura Ideal e de cura no Plano Dinâmico 
     - Obstáculos à Cura 
     - Possibilidades e Limitações da Homeopatia 
     - Níveis de Cura 
     - Similar e Simillimum 

j) Correntes Terapêuticas:
    - Unicismo. 
    - Pluralismo. 
    - Alternismo. 
    - Complexismo. 
    - Alopatia. 
    - Tautopatia. 
    - Isopatia. 
    - Enantiopatia. 
    - Fitoterapia 
    - Drenagem. 
    - Organoterápicos. 
    - Antídoto. 
    - Complementar 

SEMIOLOGIA e CLÍNICA MÉDICA

a) Fundamentação: conceito 
    - Individualização do doente e do medicamento à totalidade dos sintomas 
    - Sintomas: Conceito 
    - Características e  Classificação: 
            Comuns, Patognomônicos, Subjetivos, Objetivos, Raros, Peculiares,
    - Modalidade: definição de tipos 
    - Causalidade: Noxas-Biopatografia 


b) Anamnese Homeopática Veterinária: peculiaridades
    - Observador livre de preconceitos  
    - Relato espontâneo do cliente 
    - Interrogatório homeopático 
    - Forma de registro: a ficha clínica: 
        - Como precisar e particularizar o registro 
        - Continuação do caso 
    - Relação Médico x Paciente x Cliente na Clínica Homeopática: peculiaridades e   efeitos
    - Constituição e temperamento 

c) Avaliação Clínica 
    - Exame Físico 
    - Valor da observação do paciente 
    - Exames Complementares

d)  Repertórios Homeopáticos
    - Histórico dos Repertórios. 
    - Correntes Repertoriais - diferenças
    - Estrutura e manejo dos repertórios. 
    - Abrangência, Confiabilidade, Limitações e Finalidades 
    - Uso dos Repertórios como auxilio ao ato semiológico 
    - Técnicas de Repertorização 
    - Correlação Paciente x Repertório x Patogenesias. 
    - Matéria Médica como instância de decisão para a prescrição 


CLÍNICA e TERAPÊUTICA HOMEOPÁTICA

a) Diagnósticos  
    - Clínico Individual Constitucional ou Biopatográfico 
    - Terapêutico ou Medicamentoso Miasmático 

b) Compreensão do Caso 
    - Hierarquização dos Sintomas 
    - Sintomas guias e auxiliares 
    - Comparação com a Matéria Médica
    - Escolha do medicamento 

c) Prescrição homeopática 
    - Definição 
    - Elementos que fundamentam a Prescrição 
    - O Medicamento, a Dinamização, a quantidade a prescrever, a repetição ou não das doses 

d)  Primeira Prescrição 
    - Conceito 
    - Quadros Agudos e Crônicos 

e) Prognóstico Clínico-Dinâmico e Segunda Prescrição  
    - Patogenesia na Clínica (Experimentação) 
    - Retorno dos sintomas antigos 
    - Sintomas novos 
    - Efeito Placebo na observação do cliente 
    - Efeito do cuidado pessoal na melhora do paciente 
    - Avaliação das Leis de Cura 
    - Critérios de avaliação evolutiva nas enfermidades agudas 
    - Critérios de avaliação evolutiva nas enfermidades crônicas 
    - Obstáculos à Cura: identificação e manejo 
    - Segunda Prescrição: 
    - Conceito 
     - Parâmetros nos quadros agudos e crônicos 

f) Casos Clínicos 
    - Cumprir com os objetivos acima mencionados 

MATÉRIA MÉDICA HOMEOPÁTICA

a. Matéria Médica Homeopática 
    - Fontes de Matéria Médica 
    - Métodos de estudo da Matéria Médica 
    - Medicamentos de acordo com: 
- Suas origens e história 
- Composição 
- Toxicologia 
- Preparação homeopática 
    - Sintomas Patogenéticos, Toxicológicos e Clínicos 
    - Sintomas Mentais, Gerais e Particulares 
    - Matéria Médica Comparada 
    - Correlação Matéria Médica pura/repertório 

b)  Medicamentos a serem estudados
Todos os medicamentos homeopáticos, estes abaixo são alguns deles Abrotanum. Aconitum napellus. Aesculus hippocastanum. Agaricus muscrius. Allium cepa. Alumina. Ammonium carbonicum. Anacardium orientale. Antimonium tartaricum. Apis mellifica. Argentum nitricum. Arnica montana. Arsenicum album. Aurum metallicum. Baryta carbonica. Belladonna.Blatta orientalis. Bryonia alba. Bufo rana. Calcarea carbonica hahnemanni. Camphora. Carbo vegetabilis. Carcinosinum Burnett.  Caulophyllum thalictroides.Causticum hahnemanni. Chamomilla.  Chelidonium majus.    China officinalis. Conium maculatum. Crotalus horridus. Croton tiglium. Dioscorea vilosa.   Drosera rotundifolia. Dulcamara. Elaps corallinus. Eupatorium perfoliatum. Ferrum metallicum. Ferrum phosphoricum. Gelsemium sempervirens. Graphites naturalis. Hepar sulphuris calcareum. Hyoscyamus niger. Ignatia amara. Ipecacuanha. Iris versicolor. Kali bichromicum. Kali bromatum. Kali carbonicum. Kali nitricum. Lachesis trigonocephalus. Luesinum. Lycopodium clavatum. Magnesia carbonica. Magnesia muriatica. Magnesia phosphorica. Magnesia sulphurica. Medorrhinum. Mercurius solubilis. Naja tripudians. Natrum carbonicum. Natrum muriaticum.  Nitri acidum. Nux vomica. Opium. Phosphorus. Platinum metallicum. Psorinum. Pulsatilla pratensis. Pyrogenium. Rheum officinale. Rhus toxicodendron. Sanicula aqua. Sepia succus. Silicea terra. Staphysagria. Stramonium. Sulphur. Thuja occidentalis. Tuberculinum bovinum Kent. Veratrum album. Zincum metallicum. 

FARMÁCIA HOMEOPÁTICA 
a) Medicamentos Homeopáticos 
    - Origem 
    - Nomenclatura 
    - Sinonímia e Abreviaturas 
b) Métodos de Produção 
     - Hahnemaniano
     -  Korsakoviano
     - Escalas de Preparação 
-  Decimal
-  Centesimal
- Cinqüenta Milesimal

c)  Veículos Homeopáticos  

d)  Formas Farmacêuticas 

e) Receituário Homeopático


METODOLOGIA CIENTÍFICA

a)Conceituação Básica
- Trabalho Científico
    - Lote Controle Positivo
    - Lote Controle Negativo
    - Lote Experimental

- Observação Clínica
       - Relato de Caso
       - Casuística Clínica

b)Noções de Estatística
        - Variabilidade da Amostra 
        - Repetibilidade
        - Coeficiente de Certeza Estatística

c)  Estruturação de Modelos Experimentais
              - Pesquisa Básica
              - Pesquisa Aplicada
  -  Dificuldades em Homeopatia

BIBLIOGRAFIA 
Indicada para atender ao CURRÍCULO MÍNIMO da AMVHB. As obras em negrito são consideradas básicas para a compreensão das disciplinas, as demais são complementares. O ano e editora das obras servem apenas como orientação, algumas tiveram diversas edições. 

O uso de traduções é de responsabilidade do leitor. Os livros são  indicados por área (disciplina), porém quase todos fazem interfaces com os demais assuntos da Homeopatia.




BIBLIOGRAFIA CONJUNTA das DISCIPLINAS de FILOSOFIA, SEMIOLOGIA, CLÍNICA e TERAPÊUTICA HOMEOPÁTICA

1) Hahnemann, S. Organon der Heilkunst. 6. Aufl.:  Organon der Heilkunst, Organon da Arte de Curar. Bilíngue.  Tradução da 6ª ed. por Edméa Marturano Villela e Isao C. Soares. Ribeirão Preto: Museu de Homeopatia Abraão Brickmann, 1995. 

2) Tradução para o inglês por R. E. Dudgeon, comparando todas as edições. B. Jain. 
 
3) Tradução para o português da 6ª edição alemã. São Paulo: Robe, 1996. 
4) Tradução da 5ª ed. por José Sebastian Coll. Madrid: Typographia de Ignacio Boix, 1844. 
5) Tradução para o português da 6ª edição alemã. S. Paulo: G. E. H. Benoit Mure, 1980. 

6) Tradução do alemão para o inglês por Boericke. 6a. edição. New Delhi: B. Jain, 1972. 
7) Tradução para o inglês por Kunzli. 6ª edição. Londres: Ed. Victor Gollancz, 1983. 
8) Tradução para o francês por Pierre Schmidt. 6ª edição. Genebra: Livr. Jeheber, 1952. 
9) Hahnemann, S. Die chronischen Krankheiten. Heidelberg: Haug, 1979 [reimp.]. 5 v. 
10) Tradução da parte teórica da 2a. edição alemã para o português. S. Paulo: G. E. H. Benoit Mure, 1984. 

11) Tradução integral para o inglês por Louis H. Tafael. New Delhi: B. Jain, 1972. 
12) Hahnemann, S. The Lesser Writings:
13) Tradução para o inglês por Dudgeon. New Delhi: B. Jain Publishers Ltda,1984. 
14) Tradução para o português por Tarcísio Bazílio. São Paulo: EHB. 
15) Tradução para o espanhol por J. Sebastian Coll sob o nome de "Vários Opúsculos de Hahnemann". 


16) Allen, J. H. The Chronic Miasms, Psora e Pseudopsora. New Delhi: B. Jain, 1987.

17) Allen, J. H. Los Miasmas Crônicos, Psora e Pseudopsora. B. Aires: Ed. Albatroz, 1978.  
18) Arquivos da AMVHB. Revista. Todos os números desde 2005. 
 
19) Dabbah, F. O Sintoma Característico. Rio de Janeiro: GEHJTK, 1990. 
20) Demarque, D. Homeopatia, Medicina de Base Experimental. Rio de Janeiro: Olimpio, 1973. 
21) Demarque, D. Semiologia Homeopática. Buenos Aires: Ediciones Merecel, 1978. 
22) Detinis, L. Semiologia Homeopática. Buenos Aires: Ed. Albatroz, 1987. 
23) Dias, A. F. Fundamentos da Homeopatia. Rio de Janeiro. Ed. Cultura Méd., 2001. 
24) Dudgeon, R. E. Lectures on the Theory and Practice of Homeopathy. New Delhi: B. Jain, 1978. 
 
25) Ghatak, N. Enfermedades Cronicas su Causa y Curación. Buenos Aires: Ed. Albatros, 1989. 
26) Haehl, R. Samuel Hahnemann, His Life and Work. New Delhi. B. Jain- 1985. 
27) Jahr, G. A Prática da Homeopatia - Princípios e Regras. Rio de Janeiro. I.H.J.T.K., 1987. 
 
28) Kent, J. T. Lectures of Homeopathic Philosophy. Chicago: Ehrhart Karl, 1954.
29) Tradução para o espanhol por Augusto Vinyals Roig. Madrid. Ed. Bailly, 1926.
30) Kent, J.T. Lesser Writings, Aphorisms and Precepts. New Delhi: B. Jain, 1994.
31) Kent, J. T. Kent's Minor Writings on Homoeopathy. New Delhi: B. Jain, K. H. Gypser, 1988 (reimp.). 766 p.
32) Kent, J.T. Escritos Menores, Aforismos y Preceptos. Buenos Aires: Ed. Albatros, 1981.
33) Kossak-Romanach, A. Homeopatia em 1000 Conceitos. SP: El Cid, 1984 
34) Paschero, T. P. Homeopatia. Buenos Aires: 2a. ed. El Ateneo, 1983. 
35) Revista de Homeopatia vol. 59. n.3-4. Hahnemann, Esboço de uma Biografia. São Paulo: Publicação da Assoc. Paul. de Homeopatia, 1994. 
36) Roberts, H. The Principles and Art of Cure by Homeopathy. New Delhi: B. Jain, 1981.
37) Roberts, H. Los Principios y el Arte de Curar por la Homeopatia. Buenos Aires: Ateneo, 1983. 
38) Rosenbaum, P. Homeopatia e Vitalismo. São Paulo: Robe, 1996. 
39) Sanches Ortega, P. Apuntes Sobre los Miasmas. México. Homeopatia de México, 1977. 
40) Schmidt, P. El Arte de Interrogar. Buenos Aires: Impresur SA, 1976. Selecta Homeopatica v.1. n.1. A Observação do Sintoma Homeopático. Rio de Janeiro: I.H.J.T.K., 1993. 
41) Selecta Homeopática v.2. n. 1. A História da Similitude em Medicina. Rio de Janeiro: I.H.J.T.K., 1994. 
42) Selecta Homeopática v.4. n. 1. Tomando o Caso. Rio de Janeiro: IHJTK, 1996. 
43) Tyler, M.L. Curso de Homeopatia. São Paulo: Editorial Homeopática Brasileira, 1965. 
44) Vijnovsky, B. Valor Real de los Sintomas. Buenos Aires: Macagno. Landa, 1975
BIBLIOGRAFIA da DISCIPLINA de MATÉRIA MÉDICA e REPERTÓRIO HOMEOPÁTICO
1) Allen, H.C. Key-notes and Charactheristics of the MM with Nosodes. B. jain Traduzido como Sintomas Chave da Matéria Médica Homeopática. SP: Dynamis editorial, 1996.

2) Allen, Timothy F. The Encyclopedia of Pure Materia Medica. New Delhi: B. Jain, 1982. 
3) Boericke, W. Pocket Manual of Homeopathic Materia Medica & Repertory. New Delhi: B. Jain, 1976. 

4) Clarke, John Henry. A Dictionary of Practical Materia Medica. New Delhi. B. Jain, 1976. 
5) Hahnemann, S. Reine Arzneimittellehre. Heidelberg: Haug, 1983. Matéria Médica Pura. Tradução do alemão para o inglês por Dudgeon. New Delhi: B. Jain, 1972. 
6) Hahnemann, S. The Chronic Diseases. Tradução do alemão para o inglês por Tafel. New Delhi. B. Jain, 1983. 
7) Hering, C. Guiding Symptoms. New Delhi: B. Jain, 1971. 
8) Kent, J. T. Lectures on Materia Medica with New Remedies. B. Jain. 
9) Lathoud, F. Étude de Matière Médicale Homéopathique. Vienne-Isère. Martin & Ternet, 1932. 
10) Traduzido como Matéria Médica Homeopática. Buenos Aires: Editorial Albatroz, 1975. 
11) Mirilli, J.A. Matéria Médica Temática. São Paulo: Robe editorial, 1996. 
12) Nash, E.B. Leaders in Homoeopathic Therapeutics. New Delhi: B. Jain. ‘Traduzido como Indicações Características de Terapêutica Homeopática. Rio de Janeiro: Federação Bras. de Homeopatia, 1979. 
13) Tyler, M. L. Homeopathic Drug Pictures. New Delhi. B. Jain. Traduzido como Retratos de Medicamentos Homeopáticos (2 vol.). Revisão de trad. e versão final de Léo Lewkowicz. São Paulo: Santos ed., 1995.  
14) Vijnovsky, B. Tratado de Matéria Médica. Buenos Aires: Associação Médica Homeopática Argentina, 1980. 
BIBLIOGRAFIA da DISCIPLINA de FARMÁCIA HOMEOPÁTICA
1) Barros da Silva, J. Farmacotécnica Homeopática Simplificada. Rio de Janeiro: Imprinta, 1977. 
2) Farmacopéia Homeopática Brasileira 3ª Edição Oficial. set 2011
3) Manual de Normas Técnicas para Farmácia Homeopática - Súmula para o Clínico. São Paulo: ABFH.